Domingo, 23 de Abril de 2017 | E-mail para contato: contato@nvnoticias.com.br

Ajuda a universitários aumenta em 300% em Naviraí

Prefeito Léo Matos, cumpre compromisso com estudantes

O prefeito de Naviraí Léo Matos anunciou um amento de mais de 300% na ajuda de custo aos universitários de Naviraí que utilizam o transporte diariamente para frequentar faculdades fora do município. Atualmente cerca de 260 alunos se deslocam para as cidades de Dourados e Fátima do Sul. Para este ano, além de manter ajuda no combustível, a prefeitura efetuará um repasse anual de R$740 mil anuais para Associação dos Universitários de Naviraí (UNINAV), que abaterá o valor na mensalidade de cada estudante. O repasse mensal será de R$74 mil, divididos em 10 parcelas. Com isso, os universitários passaram a pagar apenas R$100 pelo transporte. Em 2013, o valor da passagem saia por R$280.


De acordo com o presidente da (UNINAV), Ailton Ferreira dos Santos, os acadêmicos se dividem em cinco universidades: UEMS, UFGD, Unigran e Anhanguera (Dourados) e Fifasul em Fátima do Sul. Ele lembra que do repasse feito pela prefeitura, será para os cinco ônibus e duas Vans que efetuam o transporte. Ailton explica que os alunos embarcarão no ponto na Avenida Amambaí, atrás da Catedral Nossa Senhora de Fátima e desembarcam na praça central na volta. “Os acadêmicos que desejarem ser deixados na porta de sua casa pagaram uma taxa extra de frete a empresa que lhe prestar o serviço”, explicou.


O prefeito Leó Matos disse que custear o transporte dos universitários não é gasto, e sim, um investimento no futuro dos jovens naviraienses. “Por isso, aumentamos a ajuda para este ano”, destacou o prefeito. O Prefeito lembra que o beneficio só foi possível depois de garantia de entrada de um novo recurso (IPTU), com a atualização da planta genérica, corrigindo os valores dos imóveis, aprovada pela base na Câmara com essa condição. "Agora estamos podendo contemplar os alunos", destacou.


O acadêmico Filipe Lucas Diniz, que realiza o curso de Sistema de Informação, na Universidade da Grande Dourados (UFGD), disse que há muitos gastos e apenas com a bolsa de estudo não sobrava muito dinheiro para alimentação e apostilas. “Ano passado eu pagava R$280, com esse valor, iria ter que ir embora para Dourados, agora já posso continuar estudando com tranquilidade perto de meus familiares e pagando um valor justo e acessível no transporte”, disse Filipe.

Fonte: Assessoria
Data Postagem: 13/02/2014
PUBLICIDADE