Segunda-Feira, 24 de Abril de 2017 | E-mail para contato: contato@nvnoticias.com.br

Presidente eleito da CBF afaga opositor e promete diálogo com Bom Senso FC

Ele assume a CBF em abril de 2015
Foto: Divulgação

Se cumprir o que prometeu no primeiro discurso após eleito, o próximo presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, vai manter abertas as portas de sua sala. Ele assume a CBF em abril de 2015.


Del Nero, candidato único na eleição realizada na última quarta-feira, só não teve o voto das federações de futebol do Paraná e do Rio Grande do Sul - o Figueirense se absteve de votar, mas por estar envolvido no imbróglio jurídico com o Icasa, e não por discordar da candidatura.


Questionado especificamente sobre a posição de Francisco Noveletto, presidente da federação gaúcha e seu opositor declarado, Marco Polo Del Nero reagiu com bom humor.


- Mesmo que ele queira fazer oposição, nós não vamos tratá-lo como opositor, mas como um filiado, com todos os direitos. Ele pode ver algum problema na nossa administração, achar que não é boa, por isso talvez tenha se lançado candidato. Mas vamos tratá-lo como um filho. Talvez um filho rebelde, mas nem por isso vamos dar um tratamento diferente dos outros.


O outro voto em branco foi o de Hélio Cury, presidente da Federação Paranaense.


- Se de 46 votos, você ganha 44, vai se preocupar com dois? Não quero nem saber quem são - afirmou o presidente eleito.


Noveletto, que chegou a se anunciar como pré-candidato da oposição, desistiu antes mesmo da eleição, diante da dificuldade em conseguir apoio. Para inscrever uma chapa na eleição, é preciso ter a assinatura de oito federações estaduais e cinco clubes da Série A do Brasileiro. Momentos antes da votação, o gaúcho descartou a possibilidade de fazer alguma manobra de última hora:


- Não vou tumultuar. É ano de Copa do Mundo, não é hora de criar problemas - afirmou.


Hoje a CBF não enfrenta nenhuma oposição entre as federações e nem entre os clubes. Ao contrário: entre as agremiações, o apoio a Del Nero foi unânime - excluído o peculiar caso do Figueirense, que também votaria no candidato único se não fosse o problema jurídico com o Icasa.


A única voz dissonante no futebol brasileiro hoje vem dos jogadores - especificamente do movimento Bom Senso FC, que se queixa especificamente de não ser ouvido pela CBF. Questionado por este blog sobre como seria a relação com o grupo, Del Nero respondeu:


- Eu vou dialogar. Eu vou dialogar com todos. Inclusive com você. Inclusive com vocês da imprensa. Todos os que puderem contribuir para o futebol brasileiro nós vamos ouvir. 

Fonte: G1
Data Postagem: 17/04/2014
PUBLICIDADE