Segunda-Feira, 01 de Maio de 2017 | E-mail para contato: contato@nvnoticias.com.br

Quaresma não reduz preço, carne sobe até 45% e cai venda de açougues

A venda de carne bovina diminuiu bastante nesta época do ano, deixando açougues cada vez mais vazios. Alguns cortes apresentam elevação de até 45%, fazendo com que o consumidor opte por outros produtos como o frango, por exemplo. A pouca procura não é atribuída apenas pela Semana Santa, mas também porque a carne vermelha está cada vez mais cara e sem previsão para baixar.


Veja Mais
› Supermercados liquidam ovos antes da Páscoa com descontos e prêmios
› Venda de ovos de Páscoa dá lucro de R$ 1 mil e rende até R$ 15 mil bruto


Walderson Soares, 43 anos, afirma que para driblar os altos preços do produto teve que diferenciar na hora das compras e acrescentar o frango a sua lista. "Reduzi um pouco o consumo de carne devido ao preço que está caro. Para economizar, eu pesquiso antes e também comecei a consumir mais frango que é mais barato que a carne", afirmou.


Em uma casa de carnes localizada na avenida das Bandeiras, em Campo Grande, o açougueiro conta que o movimento caiu bastante, e a procura pela carne é menor. "Aqui, os consumidores preferem levar mais frango, ou compram em menos quantidade do que no ano passado. O que notamos também, é que esses consumidores que antes compravam em açougue agora compram em redes atacadistas pois lá o preço é mais em conta e a carne é encontrada á vácuo, o que fica mais barata", disse.


Segundo o dono de um açougue da região central, que não quis se identificar, o movimento no local está fraco e o consumidor tem preferido levar uma quantidade menor de carne para poder economizar."Nossos clientes se caracterizam por comprar carne em grandes quantidades, mas agora o que temos notado é que a procura pelo produto continua, mas hoje eles compram bem menos para poder economizar".


Neste estabelecimento da área central, a carne de segunda mais procurada é o miolo da paleta, que antes era comercializada a R$ 10,99, e agora está custando R$ 15,99 o quilo. Já os cortes de primeira, como o coxão mole, por exemplo, antes era repassado ao consumidor por R$ 19,99, e agora é encontrado por R$ 23, 99. A picanha, um dos cortes mais procurados, segundo o dono do local, ficou até R$ 10 mais caro o quilo.

Fonte: campo grande news
Data Postagem: 04/04/2015
PUBLICIDADE