Terca-Feira, 23 de Maio de 2017 | E-mail para contato: contato@nvnoticias.com.br

Usineiro envolvido em crime deve assumir Usinavi e São Fernando

Alexandre Titoto chegou a ser preso depois do crime que repercutiu na sociedade paulista

O usineiro Alexandre Titoto, principal acionista do grupo Ipiranga, da região de Ribeirão Preto/SP, deverá assumir, nos próximos dias, o controle da empresa Infinity Usinavi, em Naviraí, envolvida em crise econômica desde que pediu Recuperação Judicial e agora, mais ainda, por conta de uma greve que já dura duas semanas desde que os trabalhadores decidiram paralisar as atividades para tentar receber dívidas trabalhistas.


Titoto também e cotado para assumir parte do controle acionário da São Fernando Açúcar e Álcool, instalada na rodovia que demanda ao município de Laguna Carapã,na região de Dourados. As duas empresas eram controladas pelo Grupo Bertin, alvo de investigações em operações da PF (Polícia Federal) e do MP (Ministério Público) por conta de suposta formação de cartel, especialmente, no setor de compra e venda de carnes.


Alexandre Titoto


No noticiário nacional, o nome do usineiro aparece com destaque no envolvimento de um crime que resultou no assassinato do analista financeiro do Banco Nacional de Paris, Carlos Alberto de Souza Araújo, morto após ser enterrado vivo em 2003, em Ribeirão Preto. Segundo o Ministério Público, Araújo foi morto pelo administrador de lava rápido Adelir da Silva Mota, já condenado a 18 anos de prisão em regime fechado, e pelo empresário Alexandre Titoto, depois de uma discussão por causa de uma dívida de R$ 620 mil. Titoto responde pelo crime em liberdade e deve ser julgado ainda em 2015.


De acordo com o Ministério Público, Mota e Titoto são acusados de homicídio triplamente qualificado pela morte do analista financeiro. O crime teria ocorrido no escritório de Titoto, em um edifício comercial no Jardim Irajá, em Ribeirão. Em depoimento à Polícia Civil na época, o empresário afirmou que fazia aplicações financeiras com Araújo, quando passaram a discutir por causa da venda de um carro importado: a vítima não teria recebido o valor combinado, de R$ 620 mil.

Fonte: douradosnews
Data Postagem: 31/07/2015
PUBLICIDADE