Segunda-Feira, 01 de Maio de 2017 | E-mail para contato: contato@nvnoticias.com.br

Governador sugere que Ministério Público investigue a alta nos combustíveis

Aumento nos preços de gasolina e etanol foi feito mesmo com queda da pauta fiscal

O governador do Estado, Reinaldo Azambuja afirmou ontem que o Ministério Público deveria fiscalizar o aumento nos combustíveis. Na semana passada a gasolina teve reajuste de 21% nos preços somente nos postos de Campo Grande, mesmo com redução na pauta fiscal dos combustíveis. “Quem fiscaliza cartel é Ministério Público, que tem que olhar isso com atenção. Em outros estados já estão fazendo isso”, destacou o governador durante evento.


A escalada de preços da gasolina em Campo Grande, que levou o litro do combustível à média de R$ 3,39, pegando de surpresa o motorista habituado a abastecer a valores variando entre R$ 2,99 e R$ 2,88, ocorreu menos de uma semana após o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) reduzir a pauta fiscal do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) para os combustíveis a partir de 1º de agosto. Conforme o Ato Cotepe (Comissão Técnica Permanente) nº 14, publicado no Diário Oficial da União de 24 de julho, o preço médio ponderado ao consumidor final (PMPF) do diesel comum no Estado foi fixado em R$ 3,0470, o do etanol em R$ 2,2794 e o da gasolina em R$ 3,3298.

Fonte: correio do estado
Data Postagem: 07/08/2015
PUBLICIDADE