Domingo, 30 de Abril de 2017 | E-mail para contato: contato@nvnoticias.com.br

Sem dar números, Dilma diz que Brasil já fechou meta para reduzir emissões

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira (25), nos EUA, que o governo brasileiro já fechou a meta do país para a redução de emissões de gases do efeito estufa até 2030.


Segundo Dilma, os números serão anunciados no domingo (27), durante a Conferência das Nações Unidas para a Agenda de Desenvolvimento pós-2015, em Nova York.


"Domingo eu vou divulgar essa meta. Nós já fechamos. Mas vai ser uma boa meta. O Brasil sempre dá sua contribuição", afirmou a presidente.


"É bom a gente lembrar que somos um país muito especial nessa área. Reduzimos em 82% o desmatamento [na Amazônia]", completou.


Segundo a reportagem apurou, os detalhes do chamado INDC (Contribuições Nacionalmente Determinadas Pretendidas, na tradução em português), apesar das declarações de Dilma, ainda estão sendo fechados para o anúncio de domingo.


Durante a tarde desta sexta, Dilma se reuniu com os ministros Mauro Vieira (Relações Exteriores) e Izabella Teixeira (Meio Ambiente), com o presidente da EPE (Empresa de Pesquisa Energética), Maurício Tolmasquim, e com o assessor especial da Presidência para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, para tratar do assunto, mas novas conversas estão previstas até domingo.


As negociações com os partidos aliados para fechar a reforma ministerial impediram que Dilma terminasse o pacote ainda no Brasil e viajasse aos Estados Unidos com o documento pronto para antecipar o INDC que o país vai apresentar na Conferência do Clima (COP-21), em dezembro, na França.


A presidente destacou ainda a matriz energética do Brasil, baseada em hidreletricidade e em energia solar, eólica e de biomassa, e disse que outras áreas da economia do país entrarão na meta de redução da emissão de gases, além do desmatamento.


Sem dar detalhes ou citar novas ações, afirmou que o plano agrícola e de pecuária do Brasil "prevê hoje um financiamento para a agricultura de baixo carbono".

Fonte: correio do estado
Data Postagem: 26/09/2015
PUBLICIDADE