Sexta-Feira, 28 de Abril de 2017 | E-mail para contato: contato@nvnoticias.com.br

Médicos residentes podem entrar em greve em todo o país

Os médicos residentes de todo o país podem entrar em greve, por tempo indeterminado, no mês que vem. A paralisação ocorrerá no dia 18 de novembro, caso, até lá, o governo federal não atenda às reivindicações da categoria.


De acordo com o Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (Sinmed-RJ), o governo ofereceu um reajuste da bolsa de apenas 11,9%. Os residentes reivindicam que a bolsa seja igualada à do programa Mais Médicos, no valor de R$ 10 mil, mas o governo já respondeu que isso não será possível.


Segundo nota divulgada pelo Sinmed-RJ, o diretor José Alexandre Romano disse que a Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM) já chegou a um valor de aumento da bolsa, que passaria de R$ 2.800 para R$ 4.800. “Existe um grupo de ‘anti-médicos’ dentro da Comissão, que quer estressar ao máximo os residentes”, disse Romano.


Outra reivindicação dos residentes é o auxílio moradia, uma vez que a instituição de saúde responsável por programas de Residência Médica deve oferecer moradia. De acordo com a Associação dos Médicos Residentes do Estado do Rio (Amererj), no Rio, a maioria dos hospitais não oferece este benefício. Por isso, a categoria reivindica auxílio-moradia de acordo com a média imobiliária de cada região. Após a última paralisação, o governo propôs um auxílio moradia referente a 10% do valor da bolsa, com dedicação exclusiva.


Outras reivindicações dos médicos residentes são: a fiscalização imediata de todos os programas de residência médica antes da abertura de novas vagas; plano de carreira e de valorização para os preceptores; fim imediato da carência de 10 meses do INSS; plano de carreira nacional para médicos do SUS; e aumento da representação das entidades médicas na composição da CNRM e fim da Câmara Recursal – que atua dentro da CNRM.

Fonte: correio do estado
Data Postagem: 21/10/2015
PUBLICIDADE