Segunda-Feira, 22 de Maio de 2017 | E-mail para contato: contato@nvnoticias.com.br

Sem previsão de sair, senador Delcídio completa dois meses preso

Parlamentar já teve pedido de liberdade negado

O senador Delcídio do Amaral (PT) completa, nesta segunda-feira (25), dois meses preso. Em novembro passado, o parlamentar foi detido em Brasília, em desdobramentos da Operação Lava Jato, porque estaria atrapalhando as investigações, ao tentar dificultar a delação premiada de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras.


Veja Mais
› Advogado de Delcídio diz à " Folha" que ele não vai recorrer a delação 
› Defesa de Delcídio deve pedir quebra de sigilo telefônico de filho de Cerveró


Desde então, o parlamentar, mantido inicialmente na superintendência da Polícia Federal, em Brasília, foi transferido para o presídio militar, teve a prisão mantida pelo STF (Supremo Tribunal Federal) e Senado, e agora aguarda o retorno dos trabalhos do judiciário e legislativo para entrega de nova defesa.


Segundo a PGR (Procuradoria Geral da República), que já denunciou o senador ao STF, ele teria agido de forma a dificultar a colaboração premiada de Cerveró, com o objetivo de evitar que fosse divulgado seu envolvimento nas possíveis irregularidades da Petrobras. O petista ainda foi gravado oferecendo um plano de fuga ao ex-diretor.


Havia cogitação, até agora negada pela defesa, em torno de o senador aderir à delação premiada, o que foi reforçado quando o parlamentar contratou o advogado Antonio Figueiredo Basto, em dezembro passado, especialista em acordos de colaboração. Ele é responsável pelo processo de colaboração do doleiro Alberto Yousseff. Além disso, há informações de que o petista teria voltado a manifestar irritação com o governo e o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.


De acordo com a assessoria de comunicação de Delcídio, o senador segue na mesma situação e os advogados preparam novo pedido de liberdade, a ser entregue assim que os trabalhos no STF forem reabertos. Sobre sua condição, a assessoria disse que “ele segue tranquilo, dentro das possibilidades”. O senador petista, que está com a filiação partidária suspensa, cumpre prisão preventiva, quando não há prazo para acabar.



 


Veja Também

Fonte: campo grande news
Data Postagem: 25/01/2016
PUBLICIDADE