Domingo, 23 de Abril de 2017 | E-mail para contato: contato@nvnoticias.com.br

MP abre investigação contra ex-vereadores envolvidos em esquema de fraudes

O MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) abriu inquérito civil para apurar o suposto recebimento de diárias indevidas por nove vereadores afastados ou cassados de Naviraí. A medida está publicada no Diário Oficial do órgão desta sexta-feira (20) e divulga os seguintes ex-parlamentares: Moacir Aparecido de Andrade, José Roberto Alves, Jaime Dutra, Gean Carlos Volpato, Adriano José Silvério, José Odair Gallo, Vanderlei Chagas, Elias Alves e Mário Gomes.


O fato é levantado pela 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Naviraí/MS e segundo consta no documento, a apuração é referente a notícia de que os apontados "teriam recebido valores a título de diárias de forma fraudulenta, causando prejuízos ao erário e enriquecimento ilícito".


Ainda conforme o Ministério, a suposta fraude teria ocorrido no período de janeiro de 2013 e agosto de 2014. Quem acompanha o a apuração é o promotor de justiça Daniel Pívaro Stadniky.


Os indicados pelo Ministério Público já não fazem parte da lista de parlamentares devido aos seus nomes terem citados na Operação Atenas, desencadeada em outubro de 2014 na Câmara daquele município.


A ação que começou com as investigações em 2013 relatou acusações contra os mesmos por corrupção, desvio de recursos públicos, esquemas envolvendo diárias dos legisladores, contratos superfaturados, formação de quadrilha e extorsão do Executivo municipal. Na época, O presidente da casa, Cícero dos Santos (PT), o Cicinho do PT, foi preso.


Entre janeiro e fevereiro de 2015, os então vereadores Adriano José Silvério, Elias Alves, Vanderlei Chagas e Gean Carlos Volpato foram afastados da casa.


Já em junho, aconteceu a cassação para José Odair Gallo (PDT), José Roberto Alves (PMDB), Jaime Dutra (PT), Mário Gomes (PTdoB) e Moacir Aparecido de Andrade (PTdoB) devido quebra de decoro após serem transformados em réus na ação penal da Operação Atenas acusados de organização criminosa.


Outras pessoas também viraram réus na Operação Atenas, são elas: os ex-assessores da Câmara Wagner Nascimento Máximo Antônio, Rogério dos Santos Silva, o "Rogério Dill", e Thiago Caliza da Rocha; Carlos Brito de Oliveira, que prestava serviço de sonorização e gravação de vídeo para a Câmara e a empresária Mainara Gessika Malinski, mulher de Cícero dos Santos.

Fonte: navirai em pauta
Data Postagem: 24/05/2016
PUBLICIDADE