Terca-Feira, 23 de Maio de 2017 | E-mail para contato: contato@nvnoticias.com.br

Após demitir Givanildo, América bate Figueirense e vence 1ª no Brasileiro

Foram quase dois anos, um acesso à Série A e um título mineiro após 15 anos, mas só depois de demitir Givanildo Oliveira o América-MG conseguiu sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro, no Independência, neste domingo (5): 1 a 0 contra o Figueirense, que jogou muito retrancado.


O gol foi marcado pelo atacante Osman, no meio do segundo tempo. A vitória levou os mineiros aos seis pontos, fora momentaneamente da zona do rebaixamento (diferença nos cartões para o Cruzeiro). O time foi comandado interinamente por Claudio Prates. O português Sergio Vieira, que viu o jogo das cabines, assume o comando a partir desta semana.


Já o Figueirense, que estava em ascensão, estaciona no meio da tabela.
A postura do América-MG mudou após a saída de Givanildo. O time da casa, mesmo com vários desfalques por lesão, se impôs desde o começo do jogo e chegou a dominar a posse de bola por 70% do tempo durante o primeiro tempo.


Apesar de não conseguir jogadas de grande perigo, o América ameaçava com jogadas pelas laterais e a presença de área de Borges, veterano que está voltando aos gramados depois de um tempo afastado por lesão.


O time ofensivo do América-MG esteve bem, com Borges e Osman se movimentando na frente, e conseguiu abrir algum espaço na defesa do Figueirense.


Com tentativas pelos lados e pelo meio, o América insistiu até furar a retranca adversária e chegar ao gol com Osman após belo passe de Leandro Guerreiro, que vinha sendo muito criticado pela torcida.
Os catarinenses tiveram alguma dificuldade na marcação e, sempre que roubavam a bola, ela estava muito longe da área adversária. Uma transição lenta ao ataque facilitava as coisas para a defesa americana.
O maior perigo vinha do jogo aéreo catarinense, apoiado pela estatura do vice-artilheiro do Brasileiro, Rafael Moura. Mas, de maneira geral, o time alvinegro decepcionou e a má atuação foi admitida pelos próprios jogadores ao fim da partida.


O Figueirense, que tinha feito uma partida franca contra o São Paulo no meio da semana, contra o América apenas se defendeu e "jogou por uma bola". O próprio meia Dudu já dizia, na saída ao intervalo, que o calor dificultava o ritmo mais intenso e que o time buscaria fazer um gol para então se fechar ainda mais na defesa.


Com o gol americano no segundo tempo, a situação se inverteu. O América se fechou, mas os visitantes, sem pernas, não conseguiram o empate.




 


Fonte: correio do estado
Data Postagem: 06/06/2016
PUBLICIDADE