Domingo, 30 de Abril de 2017 | E-mail para contato: contato@nvnoticias.com.br

Impacto das contas de luz e água no orçamento aumenta 28%

Variação representa o triplo da inflação acumulada em um ano

O eletricista Eliel Valério, 42 anos, residente em Campo Grande, usou a experiência profissional para amenizar o impacto da alta da conta de luz: instalou, em sua casa, 18 lâmpadas de led e trocou a geladeira e o freezer antigos por modelos mais novos. Ele estima que o investimento tenha proporcionado economia mensal de 40% na despesa com energia elétrica. A mudança de hábitos de consumo do eletricista ocorre em momento de elevação acentuada do peso dos serviços públicos no orçamento das famílias sul-mato-grossenses. Com as altas acumuladas em um ano, as contas de água e esgoto e de energia passaram a comprometer parcela maior das despesas com o lar: de cada R$ 100 gastos com a residência, R$ 11,4 são destinados para o pagamento desses serviços; antes, o valor era de R$ 8,88. A majoração é de 28,37%, o triplo da inflação do período. 


Os cálculos foram feitos, a pedido do Correio do Estado, pelo professor Celso Correia de Souza, coordenador do Núcleo de Pesquisas Econômicas (Nepes), da Uniderp. De acordo com o pesquisador, a conta de energia elétrica (reajustes da tarifa e da bandeira tarifária) aumentou 32,25% de março de 2015 a abril deste ano. As variações médias foram de 27,9% e 3,22% em março e abril do ano passado, respectivamente. Em março de 2016, houve redução de 2,74% em razão de mudanças no sistema de bandeiras, mas também foi aplicado, em abril, reajuste médio na tarifa de 7,19%. 


Em se tratando da conta de água e esgoto (especificamente para Campo Grande), a tarifa média subiu 16,35% no período de um ano, passando de R$ 3,41 para R$ 4,07. 


Reportagem de Osvaldo Junior está na edição de hoje do Correio do Estado.

Fonte: correio do estado
Data Postagem: 12/06/2016
PUBLICIDADE